Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Terrazza Panorâmico

A juíza Ana Carolina Bartolamei Ramos, da 1ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, determinou, nesta sexta-feira (6), que o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), João Vaccari Neto, deixe a prisão e cumpra pena com o uso de tornozeleira eletrônica.

Vaccari foi condenado a seis anos e oito meses de prisão por corrupção passiva e, como já cumpriu dois anos e três meses, teve o direto a progressão de pena para o regime semiaberto harmonizado.

Segundo o despacho, o Ministério Público Federal (MPF) foi favorável à decisão.

O réu está detido no Paraná desde abril de 2015. Ele foi alvo da 12ªª fase da Lava Jato e cumpre a pena no Complexo Médico Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

O ex-tesoureiro do PT responde a outras condenações, mesmo assim a juíza permitiu o cumprimento da pena no semiaberto com algumas condições: não retirar a tornozeleira eletrônica, exceto por determinação da Justiça; não danificar a tornozeleira; conservar o equipamento eletrônico; não sair do perímetro delimitado pela Justiça; e não mudar de endereço para outra comarca sem prévia comunicação e autorização.

Além da condenação de seis anos e oito meses de prisão, Vaccari foi absolvido em outros dois processos por falta de provas e teve um indulto natalino em outra ação.

A defesa de João Vaccari Neto disse, por meio de nota, que considera justa esta decisão, pois Vaccari faz jus à concessão deste benefício e, mais uma vez, reitera a confiança na Justiça.

Repórter Francielly Azevedo