Policiais durante o cumprimento dos mandados judiciais na operação (Foto: Divulgação)
Terrazza Panorâmico

A Justiça Federal converteu em preventiva a prisão de três funcionários dos Correios, que foram alvos de uma operação deflagrada na última quinta-feira (28) em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. As prisões eram temporárias e venceriam nesta segunda-feira (4).

Dois empregados dos Correios e um funcionário terceirizado da empresa foram presos no Centro de Encomendas Internacionais, por suspeita de apropriação indevida dos produtos.

A Polícia Federal informou que foi solicitada a transformação da prisão temporária em prisão preventiva após os interrogatórios dos presos e análise do material apreendido durante a operação. A 12ª Vara da Justiça Federal de Curitiba aceitou o pedido. Os presos foram indiciados pelos crimes de peculato e associação criminosa.

As investigações tiveram início há cerca de um mês. Os trabalhos apontaram que os funcionários violavam correspondências e desviavam seus conteúdos, em especial drogas sintéticas enviadas ilegalmente do exterior para o Brasil. Imagens captadas pela PF comprovaram a ação do grupo.

As investigações continuam para apurar a participação de outros funcionários dos Correios e de pessoas que poderiam pegar os produtos desviados.

Os três funcionários dos Correios presos estão à disposição da Justiça. Se forem condenados, podem pegar até 12 anos de prisão.

Repórter Joyce Carvalho