Foto: Marcos Santos/EBC
Terrazza Panorâmico

A audiência de custódia de Emerson Bezerra da Silva, de 34 anos, no Fórum de Fazenda Rio Grande, durou meia hora. O juiz determinou que ele deve permanecer preso preventivamente, por ter matado a ex-mulher, Daniela Eduarda Alves, de 24 anos. O advogado de Emerson, Rodrigo Ribeiro, afirmou que ainda vai tentar a liberdade do acusado.

Daniela foi morta a facadas , na madrugada do dia 14 de janeiro, na casa em que morava com o marido e a filha de dois anos e meio, em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. Após cometer o crime, Emerson fugiu para a casa da mãe, no bairro Sítio Cercado, em Curitiba. Foi ela quem entregou o filho a polícia. Ao ser preso em flagrante, ele confessou o crime.
A delegada Gislaine Ortega Pineda, da delegacia de Fazenda Rio Grande, indiciou Emerson por homicídio duplamente qualificado, por feminicídio e motivo fútil. O inquérito, concluído na sexta-feira (18), foi enviado nesta quarta (23) à Justiça. Agora está nas mãos do Ministério Público oferecer ou não a denúncia.

O advogado de Emerson diz que ele vai responder pelo crime que cometeu, mas que não houve feminicídio.

O advogado sustenta ainda que, ao contrário do que vem sendo divulgado, a filha do casal não teria presenciado o crime.

Daniela e Emerson eram casados há 3 anos. Familiares disseram à polícia que ela queria se separar, mas ele não aceitava. Ainda segundo a família da vítima, os dois brigavam com frequência e a jovem já teria sido ameaçada de morte.

Repórter Lucian Pichetti