Foto: Arquivo familiar

A ação foi proposta pela Defensoria Pública do Paraná com suporte da Defensoria de São Paulo. A liminar dá direito à menina de participar do Campeonato Sul-americano de Patinação Artística 2019, para o qual se credenciou ao conseguir o segundo lugar na competição nacional do ano passado.

A CBN Curitiba começou a contar essa história na semana passada, quando o pai de Maria Joaquina, Gustavo Uchôa, relatou que apesar de ter se classificado automaticamente para a disputa, ela não foi convocada por questões documentais.

Apresentaram a ação à justiça paulista os Núcleos de Defesa e Promoção dos Direitos da Mulher e de Cidadania e Direitos Humanos. Conforme a defensora Eliana Lopes, coordenadora do NUDEM, tentou-se contato extrajudicial com as confederações da modalidade, mas não foi possível convencê-las a aceitar a atleta na categoria feminina.

Na última semana, a justificativa apresentada para a não convocação foi de que a medida descumpriria regras internacionais. Conforme o regulamento os atletas só podem ser inscritos em categorias que coincidam com aquela indicada no documento; entretanto, a questão passa a ser contornável a partir da concessão da liminar, avalia a defensora.

O Campeonato Sul-americano de Patinação Artística começa nesta sexta-feira (19) e segue até o 30 de abril. Até o fechamento desta reportagem a CBN Curitiba não obteve resposta sobre pedido de posicionamento feito à Confederação Sul-americana e não havia informação sobre possíveis recursos.

Repórter Cristina Seciuk