Foto: Assessoria P2/Divulgação
Terrazza Panorâmico

A juíza Luciani Martins de Paula, da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, marcou a data da audiência de instrução do caso envolvendo a morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, de 24 anos.

As oitivas da família Brittes e dos outros acusados de participação no crime estavam inicialmente agendadas para 27 de fevereiro, com a possibilidade de se estender até 1º de março. Mas a defesa técnica da famíla Brittes encaminhou um pedido de redesignação das datas. A Juíza acatou a solicitação e as audiências vão acontecer nos dias 18,19 e 20 de fevereiro.

Na ocasião serão ouvidas as testemunhas de acusação, defesa e os réus no processo. Ao todo, sete pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público do Paraná. Destas, seis permanecem presas.

No despacho, a magistrada também negou os pedidos da defesa sobre a renovação de prazo para apresentação de Resposta à Acusação. Segundo a magistrada, os advogados já tiveram acesso a todos os documentos necessários para exercer o contraditório.

Ex-jogador do Coritiba, Daniel veio para capital paranaense comemorar o aniversário de Allana Brittes, no dia 26 de outubro, em uma casa noturna, no bairro Batel. A comemoração se estendeu até a casa dos pais de Allana – Cristiana e Edison Brittes – último lugar que o jogador teve contato com amigos pelo WhatsApp. Na casa ele foi espancado e depois conduzido no porta-malas do carro de Edison até a Colônia Mergulhão, onde foi morto.

O corpo de Daniel foi encontrado no dia 27 de outubro, em uma área rural. Ele foi degolado e teve o órgão sexual mutilado.

Edison Brittes confessou o assassinato com a justificativa de que o jogador tentou estuprar a esposa, Cristiana Brittes.

Repórter Francielly Azevedo