Lala Schneider: a primeira-dama do teatro paranaense

Lala Schneider: a primeira-dama do teatro paranaense
Foto: AEN

Você sabe quem foi a mulher considerada a “primeira-dama do teatro paranaense”? Um dos mais tradicionais teatros do Paraná leva o nome dela. Agora ficou fácil né. Eu estou falando da atriz, diretora de teatro e professora de interpretação Lala Schneider. Ela nasceu em 23 de abril de 1926, em Irati. Além dos palcos, atuou em televisão e cinema e já foi considerada uma das cinco melhores atrizes do Brasil.

Lala Schneider iniciou a carreira em 1950 na peça “O Poder do Amor”, no Teatro de Adultos do Serviço Social da Indústria (SESI). Ao longo dos seus 57 anos de carreira, participou de dezenas de montagens teatrais e ganhou dezesseis prêmios, entre eles o Troféu Gralha Azul na categoria melhor atriz, por “Colônia Cecília” e por “O Vampiro e a Polaquinha”.

No cinema, a atriz trabalhou principalmente com cineastas paranaenses. Ela fez “Guerra dos pelados”, “Aleluia Gretchen” e “Making of Curitiba”, de Sylvio Back, “O Cerco da Lapa”, de Berenice Mendes, “Maré Alta”, de Egídio Élcio, entre outros. Seu último trabalho local foi o filme “Mistéryus”, baseado em contos de Valêncio Xavier. Ainda no cinema, Lala Schneider atuou em “Vovó Vai ao Supermercado”, curta-metragem de Valdemir Milani. Pela atuação no filme recebeu o prêmio de melhor atriz em 2004, no Festival de Gramado.

Na televisão, participou de oito novelas, dentre as quais “Lua Cheia de Amor” (1990); “Felicidade” (telenovela da TV Globo – 1991) e “Tereza Batista” (minissérie da TV Globo – 1992).

Em 1994, foi homenageada com a inauguração de um teatro em Curitiba com o seu nome, o “Teatro Lala Schneider” e em 2004, recebeu do Centro Cultural Teatro Guaíra a medalha comemorativa dos 50 anos do Guairinha, reverenciada como uma das personalidades que fizeram parte da história do teatro paranaense.

Lala Schneider faleceu em Curitiba, aos 80 anos, em 2007.