Foto: Reprodução / Google Street View

O motociclista Leonardo Magalhães Fonseca, 22 anos, que atropelou três pessoas na calçada, na Avenida do Batel, em Curitiba, pilotava a cerca de 120 km/h, de acordo com o laudo da Polícia Civil.

De acordo com o delegado da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), Anderson Franco, responsável pelo caso, a velocidade era três vezes acima do permitido na via.

Na tarde do dia 7 de julho, Leonardo perdeu o controle da moto após empinar o veículo e atingiu três pessoas na calçada. As três vítimas foram: uma idosa, de 88 anos, que teve a perna ferida e recebeu alta no mesmo dia do acidente; uma mulher, de 39 anos, que ficou quase três semanas internada; e uma menina de oito anos, que ficou 16 dias no Hospital Pequeno Príncipe, e chegou até a ser mantida em coma induzido logo após o acidente.

Já o motociclista ficou seis dias internado, foi ouvido pela Polícia Civil e agora está sendo monitorado por tornozeleira eletrônica, atendendo uma ordem judicial.

O pai dele responderá criminalmente por ter emprestado a moto mesmo sabendo que o jovem estava com a CNH suspensa.

O delegado explica que a velocidade na via foi alterada após o acidente.

Conforme Franco foi feito um pedido para justiça solicitando a ampliação de prazo para conclusão das investigações. Após a resposta, a expectativa é que em 30 dias o inquérito seja concluído.

Em relação ao laudo da velocidade, a defesa de Leonardo, por meio de nota, disse que vai se manifestar apenas após o posicionamento do Ministério Público. Além disso, ressalvou que nunca afirmou que a moto estaria em baixa velocidade.

Repórter Francielly Azevedo

Deixe seu comentário