Terrazza Panorâmico
sede Justiça Federal (site oficial)
Bernardi foi solto depois que a Justiça Federal homologou sua delação premiada. Foto: Justiça Federal

O empresário João Antônio Bernardi Filho, preso em junho, na 14ª fase da Operação Lava Jato, foi solto nesta segunda-feira. Ele deixou a cadeia em Curitiba após a Justiça Federal do Paraná homologar sua delação premiada.

Após sair da prisão, Bernardi seguiu direto para o Rio de Janeiro, onde mora com a família. Ele não precisará utilizar tornozeleira eletrônica. Pelo acordo firmado com o Ministério Público, o empresário pagará uma multa de um milhão de reais e devolverá dez milhões de dólares em imóveis e obras de arte – segundo o advogado dele, Marlus de Oliveira.

Nos depoimentos da colaboração, Bernardi detalhou como administrava recursos no exterior em nome do ex-diretor de serviços da Petrobras, Renato Duque – incluindo a compra de imóveis com valores ilícitos para garantir renda ao ex-diretor assim que ele deixasse a estatal.

O empresário também falou da criação da offshore uruguaia Hayley, usada para recebimento de propina – como por exemplo, quase dez milhões de dólares repassados pela empresa CONFAB. Em 2011, a offshore também foi utilizada para entrega de um milhão de dólares feita pelo consultor Julio Camargo.

O mais novo delator da Lava Jato já é réu em um processo relacionado à operação em que responde por corrupção. Bernardi era o representante no Brasil da empresa italiana Saipem.

Segundo as investigações, ele intermediou o pagamento de propina para Renato Duque, com objetivo de favorecer a Saipem na assinatura de um contrato com a estatal para instalação de um gasoduto submarino. Foram repassados cerca de quatro milhões de reais para Renato Duque – sendo que R$ 577 mil foram investidos em 14 obras de arte entregues ao ex-diretor.

Repórter Tabata Viapiana.

Deixe uma mensagem