Foto: Reprodução Marangoni Leilões

Leilão encerrado e o tríplex do Guarujá – imóvel atribuído ao ex-presidente Lula pelo Ministério Público Federal – foi arrematado pelo mínimo estabelecido pela Justiça, de dois milhões e duzentos mil reais, valor em que está avaliado atualmente o apartamento no edifício Solaris.

Esse foi o único lance considerado ao final do pregão, feito por pessoa jurídica poucos minutos antes do encerramento do prazo, as 14h. Na noite desta segunda-feira (14) outro lance de mesmo valor havia sido apresentado, mas foi retirado mediante autorização judicial: comprador afirmou ter se equivocado ao fazer a oferta.

No site da Marangoni Leilões, responsável pelo trâmite, consta que o usuário que fez o lance é de Brasília, está identificado apenas como Guarujapar e formalizou a oferta exatos cinco minutos antes do fim do leilão. O pregão teve mais de 53 mil visitantes enquanto permaneceu aberto.

Conforme informações dos organizadores, agora o leiloeiro gera a guia a ser encaminhada ao vencedor, que terá 72 horas para efetuar o pagamento. Na sequência os autos de arrematação são encaminhados à Justiça para que sejam juntados ao processo.

O leilão do tríplex do Guarujá foi determinado em janeiro pelo juiz federal Sergio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato na primeira instância. O magistrado determinou que o valor arrecadado seja depositado em juízo e que com o trânsito em julgado seu valor seja repassado à Petrobras em caso de confirmação da sentença.

Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a 12 anos e um mês de prisão, por lavagem de dinheiro e corrupção passiva, na ação penal que envolve o tríplex. O imóvel teria sido oferecido a ao ex-presidente pela OAS como vantagem indevida.

Repórter Cristina Seciuk

Deixe uma mensagem