Foto: Jefferson Rudy/ Agência Senado

Está marcado para a próxima terça-feira (19) o julgamento da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), do ex-ministro Paulo Bernardo e do empresário Ernesto Rodrigues, que seria ligado ao casal.

Quem vai analisar o caso é a Segunda Turma do STF. A sessão foi marcada pelo ministro Ricardo Lewandovski. Para o MP, o trio teria recebido aproximadamente R$ 1 milhão desviados da Petrobrás.

Segundo a acusação, os três agiram de forma voluntária, livre e consciente. Os valores foram destinados à campanha de Gleisi, e eram repassados através de empresas de fachada que estavam em nome do doleiro Alberto Yussef.

De acordo com a PGR, o dinheiro foi disponibilizado por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás. Segundo a acusação, o objetivo dele seria conquistar apoio político para se manter no cargo dentro da estatal.

Em nota, a senadora Gleisi Hofmann rebateu as acusações. No texto ela diz que foi injustamente denunciada, sem qualquer prova ou indício de crime, mas recebeu a notícia com serenidade.

Segundo a senadora paranaense, trata-se de uma acusação forjada nos subterrâneos da Lava Jato, onde criminosos condenados negociam benefícios penais e financeiros em troca de delações mentirosas, que servem à perseguição política contra o PT.

Diz a nota ainda que a cada falsidade desmascarada durante o processo, os criminosos foram mudando os depoimentos e mentindo cada vez mais.

Gleisi classifica como escandaloso o fato da Procuradoria Geral da República (PGR) ter oferecido a denúncia ao invés de punir os que são acobertados pela Lava Jato.

Gleisi finaliza o texto afirmando que há quatro anos aguarda o desfecho dessa trama, mas vê com alívio o dia em que a Justiça terá a oportunidade de absolvê-la e restaurar a verdade.

A CBN lembra que no final do mês passado, o Supremo condenou pela primeira vez um político exercendo o mandato no âmbito da Operação Lava-Jato. Trata-se do deputado federal Nelson Meurer, do PP do Paraná.

Ele foi condenado pela segunda turma do STF, a mesma que vai analisar o caso envolvendo Gleisi Hofmann e Paulo Bernardo. Nelson Meurer foi acusado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Repórter

Deixe seu comentário