Foto: Divulgação/SMCS

Três licitações para implantar novas tecnologias na área de mobilidade urbana em Curitiba estão na reta final dentro da Urbs (Urbanização de Curitiba S/A). O EstaR Digital, o aplicativo da frota de táxis da cidade e o credenciamento para venda de créditos de transporte tiveram propostas apresentadas e que estão sendo analisadas.

Estar Digital

O Estar Digital terá seus blocos de papel substituídos por um aplicativo de celular. A fiscalização das vagas rotativas também vai ser realizado via aplicativo pelos agentes da Setran (Superintendência Municipal de Trânsito).

Na fase final da licitação, 17 empresas apresentaram propostas. Segundo o coordenador da Área de Licitação da Urbs, Samuel Freire Agostinho, a empresa vencedora da licitação tem até 180 dias para implementar o sistema.

Créditos de transporte

A ampliação dos pontos de venda de crédito de cartão-transporte é outra licitação da Urbs que trará tecnologia para dentro do transporte público, facilitando a vida do passageiro.

Duas grandes empresas de pagamentos online estão se credenciando para disponibilizar a venda de créditos: a Mercado Pago e a Recarga Pay. Ambas as empresas vão funcionar como aplicativos para celular. Os passageiros que comprarem créditos por meio desse serviço ganhará tempo na recarga.

Hoje, com o pagamento realizado por boleto gerado na internet, o tempo para a passagem ser embarcada na bilhetagem eletrônica é de 72 horas. Com a implementação dos novos aplicativos esse tempo deve cair para 24 horas.

Além dessas duas plataformas, a Urbs tem feito reuniões técnicas com duas das maiores redes bancárias do país, que estão preparando seus sistemas para fazerem o credenciamento e poder vender créditos de transporte nos caixas eletrônicos e também por aplicativos.

Aplicativo de táxi

Curitiba está prestes a ter um aplicativo próprio para a frota de táxi da cidade. Três propostas foram apresentadas à Urbs, uma desabilitada (empresa SW) e outras duas estão sendo analisadas (Infosist e Serttel).

O sistema poderá ser usado pelos taxistas de forma única e similar aos aplicativos privados do mercado. “Hoje, por exemplo, o Uber cobra dos motoristas credenciados de 22% a 33% de comissão no valor das corridas”, disse o gestor da Área de Tecnologia da Informação da Urbs, Vilson Kimmel

A adesão ao aplicativo da cidade será opcional para os cerca de três mil taxistas de Curitiba. A Urbs não terá receita com o aplicativo, nem custo. A margem máxima de estipulada na licitação é de até 7% sobre as corridas para o vencedor.

As três empresas apresentaram as seguintes taxas de comissão. A empresa SW ofereceu o máximo de 1,52% na comissão das corridas. A Infosist, 1,89% e a Serttel, 4,25%.

Os resultados destas licitações estão publicados no Diário Oficial do Município e também no site da Urbs (www.urbs.curitiba.pr.gov.br).

Da redação com informações da Comunicação da Prefeitura de Curitiba