Foto: Pedro de Oliveira / Alep
Foto: Pedro de Oliveira / Alep

Após o fim da greve dos professores, o Governo do Paraná vai retirar da Assembleia Legislativa a proposta que revoga a data-base do funcionalismo, disse o líder do executivo na Casa.

Depois que os professores anunciaram o fim da greve, que durou 15 dias, o líder do governo Beto Richa no Legislativo, o deputado Luís Cláudio Romanelli (PSB), disse que o estado retiraria da pauta a emenda que revoga o pagamento da reposição inflacionária do funcionalismo; motivo principal da paralisação.

O Governo estadual falava que não tinha dinheiro para quitar, ao mesmo tempo, duas pendências: os pagamentos da data base e das promoções e progressões. Já na semana passada, o secretário chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, informou que os 3 bilhões e 500 milhões de reais poderiam ser pagos, possivelmente de forma parcelada, o que foi reafirmado por Romanelli nesta segunda-feira (31) – mas isso seria definido na mesa de negociação com os representantes dos servidores do Paraná.

O que for acertado com o funcionalismo terá de passar pelos deputados. As alterações estarão no texto da Lei de Diretrizes Orçamentárias, que deve ser votado, de acordo com o líder do governo, entre o final deste mês e início de dezembro.

O presidente da APP Sindicato, Hermes Leão, fala que se não houver de fato acordo, a categoria deve se reunir novamente para decidir os rumos do movimento.

Repórter Andressa Tavares

 

Deixe uma mensagem