Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, nesta sexta-feira (17), que não aceita usar tornozeleira eletrônica, caso tenha direito a progressão de regime de pena. A declaração foi dada ao ex-deputado carioca Wadih Damous (PT), que integra a defesa do petista.

Se para deixar a Polícia Federal Lula tiver que usar o equipamento, ele disse preferir continuar preso.

No início do mês, Lula admitiu, pela primeira vez, que pretende pedir progressão de regime da pena que cumpre por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá. Ele passaria do regime fechado para o semiaberto.

O petista está há mais de um ano preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Manifestações

Em conversa com Wadih Damous, Lula disse ainda ter ficado impressionado com as manifestações contra os cortes na educação, propostos pelo governo Bolsonaro.

Repórter Lucian Pichetti