Foto: Heinrich Aikawa/Instituto Lula

O Natal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não será como a família dele e os militantes gostariam. O petista, preso na sede da Polícia Federal (PF), em Curitiba, desde abril, não verá nenhum familiar nesta segunda (24) e nem nesta terça-feira (25). Isso porque as visitas ao ex-presidente acontecem apenas às quintas-feiras, na cela especial onde ele está detido.

O cardápio também não vai contar com grandes novidades. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Federal (PF), Lula e os demais presos na Superintendência terão o mesmo tratamento dedicado a eles durante o restante do ano. Familiares e amigos podem trazer dois pacotes de biscoito, uma barra de chocolate, frutas, roupas e material de higiene e limpeza.

Do lado de fora, porém, caravanas de todo o país se reúnem com os militantes de Curitiba na Vigília Lula Livre. Uma ceia e um ato inter-religioso vão marcar a celebração do Natal, a partir das 19 horas.

De acordo com a responsável pela comunicação da Vigília, Neudicleia de Oliveira, os militantes ficam no local também para uma festa da virada.

De certa forma, Lula celebrou o Natal na última quinta-feira (20), quando recebeu os filhos e advogados.

Repórter Lucian Pichetti