Foto: Reprodução AEN

Por definição, animal silvestre é “todo aquele de espécie que naturalmente nasce e vive em ambientes naturais tais como florestas, savanas, oceanos e rios”.

Desde o início do ano, mais de 200 animais silvestres foram resgatados pela Rede de Proteção Animal de Curitiba. De acordo com o Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna, ao todo, 27 autos de infração foram emitidos contra maus tratos na capital paranaense.

O caso mais recente foi nesta semana, quando 69 pássaros foram apreendidos em uma casa no bairro Boqueirão. Um deles é de uma espécie ameaçada de extinção. O dono da casa, um homem de 37 anos, foi preso em flagrante e vai responder por comércio ilegal de animal silvestre, maus tratos a animais e uso de sinal falso, já que uma das aves tinha uma anilha de identificação falsificada.

Segundo a Polícia Civil, o homem é um dos maiores comerciantes de aves silvestres da capital. Também foram apreendidas caixas de papelão onde os animais eram transportados para venda.

Ainda conforme a polícia, o local onde as aves estavam não tinha condições de higiene e nem recebia luz solar.

Além da prisão, o homem foi multado em R$ 35 mil pela Rede de Proteção Animal.

O diretor do Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna, Edson Evaristo, explica que o tráfico de animais é o grande responsável pela extinção de várias espécies.

Os animais resgatados nas operações são encaminhados ao Centro de Apoio à Fauna Silvestre, no Capão da Imbuia. Lá, eles passam por avaliações feitas pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

Edson conta que o principal objetivo é reinserir os bichinhos na natureza, mas que pra isso é necessário que o animal esteja em condições.

Porém, nem sempre é possível devolver o animal ao habitat natural, porque muitas vezes eles sofreram muita violência ou correm o risco de morrer pela falta de adaptação.

Nesses casos, o IAP encaminha os bichinhos para tutores. Qualquer pessoa pode se candidatar. São avaliados o perfil do interessado e as condições da residência.

A aquisição de animais silvestres sem esse procedimento do IAP só pode ser feita em cativeiros legalizados. Caso contrário, é crime passível de multa que varia de R$ 500 a R$ 5 mil por animal, além de prisão de seis meses a um ano.

Repórter Francielly Azevedo