Foto: Pixabay

Situações como essa, relatada pela psicóloga do Hospital Pequeno Príncipe, Daniela Prestes, são mais comuns do que se imagina. O medo de repressões dentro do próprio ambiente familiar faz com que muitas vezes, denúncias de violência e abusos contra crianças e adolescentes não sejam feitas às autoridades.

Mesmo assim, quase sete casos de abusos sexuais foram registrados por dia no Paraná, em 2017, segundo os inquéritos policiais informados pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria) da Polícia Civil à CBN Curitiba. Somente na capital paranaense, a cada dois dias, três crianças ou adolescentes foram abusadas sexualmente no ano passado.

O delegado responsável pelo Nucria, José Barreto, explica que mais de 70% dos casos investigados, são de parentes das vítimas, algumas vezes o próprio pai ou a mãe.

A psicóloga também lembra que nesses casos, os familiares custam a acreditar, justamente porque o acusado, muitas vezes, é uma pessoa de confiança.

A especialista aponta algumas das causas quem podem relevar a um problema de relacionamento dos familiares.

Daniela Prestes também ressalta que quanto mais novas as crianças que sofreram violência ou abusos, mais sério é o problema, não só pela gravidade do crime, mas o próprio desenvolvimento, pois muitos adolescentes relatam que lembram do que se passou quando eram mais novos.

O delegado do Nucria afirma que os trabalhos de investigação demandam um tempo, mas é preciso que as pessoas se coloquem no lugar das vítimas, pois só assim, será possível retirar das ruas quem comete esses crimes.

Dos casos de abusos sexuais, mais de 65% aconteceram com meninas e 30% com crianças de até dois anos de idade. Além disso, 28,8% dos atendimentos feitos no Hospital Pequeno Príncipe, foram a crianças que já tinham sofrido com violência e 142 precisaram de internamento hospitalar.

De acordo com a psicóloga, alguns sinais podem ajudar na identificação de que as crianças possam estar sofrendo algum tipo de violência ou abuso sexual. Dificuldades para dormir ou sono demais; comer demais ou de menos; cansaço; agitação; pesadelos durante a noite; agressividade ou passividade; depressão; choro sem motivo; desconfiança e medo de ficar só ou em companhia de algumas pessoas.

A Polícia Civil lembra que as denúncias podem ser encaminhadas para o Disque Denúncia no telefone 181.

Repórter William Bittar

Deixe seu comentário