Foto: Ana Carolina Caldas

Um grupo de cerca de cem pessoas fez um ato simbólico em apoio ao ex-presidente Lula em frente à Justiça Federal, no bairro Ahú, no começo da tarde desta segunda-feira (07/05), data em que a prisão do petista completa um mês.

Os manifestantes criticaram o que classificam como arbitrariedade da prisão e a suposta falta de provas e cobraram a libertação do ex-presidente. A maioria carregava faixas e cartazes com dizeres como “Lula presidente”, “30 dias de resistência” e “Lula livre”.

O grupo se concentrou na praça Pedro Alexandre Brotto, em frente à sede da Justiça Federal, e permaneceu no local por aproximadamente vinte minutos. Na sequência retornou à vigília, montada nas proximidades da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida, para onde Lula foi trazido após de entregar aos agentes federais em 07 de abril para iniciar o cumprimento da pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A sentença foi definida em segunda instância pela 8ª turma do TRF-4, de Porto Alegre, que ampliou a condenação inicial estabelecida pelo juiz federal Sérgio Moro, em julgamento de recurso apresentado pela defesa no mês de janeiro.

Sobre a prisão, o site oficial do ex-presidente divulgou um texto que traz um relato sobre esse mês. Em aspas atribuídas ao ex-presidente, ele afirma que “completam-se trinta dias que estou aqui aguardando que o Moro e o TRF4 digam qual crime eu cometi. Não sei se os acusadores dormem com a consciência tranquila que eu durmo”. Na publicação, o destaque é para a presença dos apoiadores e restrições, como a proibição de visitas de não familiares até recentemente.

Repórter Cristina Seciuk

Deixe uma mensagem