Marcelino Champagnat entra em colapso e fecha pronto atendimento

Marcelino Champagnat entra em colapso e fecha pronto atendimento
Foto: Divulgação

O Hospital Marcelino Champagnat anunciou que não tem mais condições de receber pacientes com qualquer enfermidade por causa da lotação do local. Em comunicado, nesta terça-feira (24), a instituição informou que está com a capacidade excedida e, por esse motivo, o Pronto Atendimento estará fechado por tempo indeterminado, para casos de sintomas da Covid-19 ou qualquer outra queixa.

Em nota enviada à Rádio CBN Curitiba, o Hospital Marcelino Champagnat disse que há mais de uma semana vem atuando no limite de sua capacidade instalada. Desde o dia 16, os leitos destinados a pacientes Covid-19– sendo 15 de UTI e 18 de internamento – estão 100% ocupados. O hospital registrou, na primeira quinzena de novembro, aumento de 44,5% de pacientes no pronto atendimento, na comparação com o mesmo período do mês anterior.

A instituição ressalta que chama a atenção o crescimento dos pacientes com queixa de síndrome gripal – com um aumento de aproximadamente 128% nesse mesmo período. Situação que tem se agravado ao longo dos últimos dias.

O Hospital destaca que os novos números de casos de Covid-19 confirmados em Curitiba alertam para a necessidade da manutenção das medidas de prevenção: uso de máscaras em qualquer ambiente, respeito ao distanciamento social e higienização constante das mãos.

Nesta semana, outros dois hospitais particulares de Curitiba anunciaram que estão lotados e não estão mais recebendo pessoas com sintomas da Covid-19: o Hospital Nossa Senhora das Graças e o Hospital Sugisawa. Ambos publicaram nota nas redes sociais, no fim de semana, relatando a situação.

Repórter Francielly Azevedo