Foto: EBC

Apesar do bom resultado acumulado no ano passado, o mês de dezembro de 2018 teve mais pessoal dispensado do que o número total de contratações no mercado de trabalho paranaense. Foram 26.838 postos de trabalho a menos do que aqueles preenchidos com carteira assinada de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgado nesta quarta-feira (23) pelo Ministério do Trabalho. Todos os oito setores de atividade econômica pesquisados tiveram mais demitidos do que admitidos. O segmento que mais perdeu força de trabalho foi a Indústria de Transformação, que contratou 10.888 funcionários, mas demitiu 22.141 pessoas.

O desempenho para o mês foi negativo, mas insuficiente para reverter o quadro de melhora observado para o geral do ano no Paraná, com saldo positivo de geração de emprego: foram 40.256 mais trabalhadores contratados em 2018 do que aqueles dispensados no período, variação positiva de 1,5%.

Os números são os melhores para o Paraná em quatro anos. O cenário demonstra recuperação do mercado de trabalho do estado para patamares parecidos com aqueles de 2014, após o tombo registrado em 2015 – quando o saldo foi negativo em mais de 76 mil empregos. O avanço na criação de vagas, de modo geral, também demonstra retomada considerável na comparação com o ano anterior, com índice quase três vezes e meia maior do que 2017.

O setor que liderou as admissões entre janeiro e dezembro últimos no Paraná foi – disparado – o de serviços, com saldo positivo de 30.258 vagas. Depois dele aparecem comércio e construção civil, com 9.426 e 2.301 contratados a mais do que os demitidos, respectivamente. Na contramão, a agropecuária foi a atividade que mais demitiu, apresentando saldo negativo de 1.205 postos de trabalho. Com mais dispensas do que contratações aparecem também a indústria de transformação e a administração pública.