Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O juiz federal Sérgio Moro determinou o adiamento de todos os depoimentos dos réus do processo do Sítio de Atibaia. As oitivas que estavam marcadas para ocorrer de 27 de agosto a 11 de setembro só serão retomadas depois da campanha eleitoral, conforme despacho desta quarta-feira (15).

Os depoimentos foram transferidos para o período de 05 a 14 de novembro. É neste último dia que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será ouvido.

Segundo o documento, a fase de instrução do processo está quase finalizada, restando pendente apenas a etapa de interrogatório dos acusados. Apesar disso, Moro diz considerar adequada remarcação das audiências “a fim de evitar a exploração eleitoral dos interrogatórios”.

Ao explicar a medida, Moro pontua, sem citar o nome de Lula, que um dos acusados no processo já foi condenado anteriormente por corrupção e lavagem de dinheiro e está preso por ordem do TRF-4, mas que -apesar disso-, se coloca como candidato à Presidência da República, em situação que terá de ser avaliada pelo TSE.

No despacho, o juiz defende ainda que a redesignação das oitivas vai permitir que o juízo concentre esforços na tramitação de outras ações penais da Lava Jato que tem acusados presos preventivamente, mas que ainda não foram julgadas.

A defesa de Lula se manifestou por meio de nota:

“Um processo criminal jamais poderia ter seus atos orientados pelo calendário eleitoral. A mudança das datas dos depoimentos, porém, mostra que a questão eleitoral sempre esteve e está presente nas ações contra o ex-presidente Lula que tramitam em Curitiba”.

Repórter Cristina Seciuk

Deixe seu comentário