Terrazza Panorâmico
Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

O juiz Sérgio Moro deve decidir nesta terça-feira (25) sobre o adiamento ou não do depoimento do ex-presidente Lula, inicialmente marcado para o dia 03 de maio. O pedido foi feito pela Polícia Federal e pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, que pediram mais tempo para preparar o esquema de segurança, já que inúmeros movimentos sociais estão organizando protestos favoráveis e contrários a Lula para o dia da audiência.

O depoimento foi marcado no início de março, há exatamente 53 dias, mas somente agora as autoridades de segurança pediram a mudança da data. O juiz Sérgio Moro ainda não se manifestou, mas deve decidir ao longo do dia. A tendência é que o juiz acolha o pedido, passando a audiência de Lula para o dia 10 de maio. Ao saber da possibilidade de adiamento, o ex-presidente se disse tranquilo e à disposição para ser ouvido em qualquer data.

Independente da data, a vinda do ex-presidente Lula a Curitiba para prestar depoimento a Moro vai mexer com a rotina da cidade. Os movimentos de apoio à Lava Jato esperam a vinda de caravanas de pelo menos sete estados. No dia da audiência, a ideia é reunir os manifestantes o mais próximo possível do prédio da Justiça Federal do Paraná para apoiar o juiz Sérgio Moro.

Já os movimentos de esquerda preparam uma “onda vermelha” em apoio a Lula. Caravanas também devem sair de várias partes do país e os organizadores esperam até 50 mil pessoas em Curitiba. A programação inclui atividades como aula pública sobre a Lava Jato, atos políticos e vigílias. No dia do depoimento, a concentração deve ser mantida no centro e não em frente à Justiça Federal.

Na Lava Jato, o ex-presidente Lula é acusado de receber propina de R$ 3,7 milhões através de favores pagos pela OAS, incluindo a compra e a reforma do triplex no Guarujá.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe uma mensagem