Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O juiz Sérgio Moro vai interrogar presencialmente, a partir das 14h, quatro réus da 35ª fase da operação Lava Jato: o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, o ex-diretor de serviços da Petrobras, Renato Duque, além dos irmãos e operadores financeiros da Odebrecht, Marcelo e Olívio Rodrigues. Duque e Vacarri não são colaboadores e, portanto, podem permanecer em silêncio.

Em todos os depoimentos anteriores a Moro, os dois sempre ficaram calados e nunca responderam as perguntas do juiz. Duque está preso desde março de 2015 e já foi condenado em quatro ações da Lava Jato a 57 anos de prisão. Vaccari está detido há dois anos e também já teve sentença em quatro processos, com penas que chegam a 41 anos de prisão.

Os demais réus da 35ª fase da Lava Jato serão interrogados ao longo da semana. Nesta terça-feira, prestam depoimento o casal de marqueteiros do PT, João Santana e Mônica Moura. Os dois serão ouvidos pela primeira vez pelo juiz Sérgio Moro na condição de delatores. As audiências terminam na próxima quinta-feira, com o depoimento do ex-ministro Antônio Palocci.

A ação penal apura pagamentos de propina da Odebrecht a Palocci através do “setor de operações estruturadas”, o departamento da empreiteira responsável apenas por repasses ilícitos. Segundo a denúncia, os pagamentos chegaram a R$ 128 milhões. O empresário Marcelo Odebrecht contou ao juiz Sérgio Moro que Palocci era o interlocutor da construtora com o PT. Os pagamentos ilícitos sempre precisavam de autorização do ex-ministro.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe uma mensagem