Foto: Vanessa Fernandes

Cerca de 300 motoristas acompanharam na tarde desta quinta-feira (8) na Praça Rui Barbosa, a assembleia realizada pelo Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), para decidir se a categoria entrará em greve.

A mobilização foi motivada por um projeto de lei encaminhado pela Prefeitura de Curitiba à Câmara Municipal no dia 25 de outubro, que torna exclusiva a bilhetagem eletrônica nos ônibus e estações tubo do transporte coletivo da capital.

Na assembleia, encaminhada pelo presidente do Sindimoc Anderson Teixeira, os cobradores decidiram não deflagrar a greve imediatamente, mas fazer duas tentativas de retirada do projeto antes de uma decisão final. Anderson Teixeira explica de que forma serão as tratativas com a prefeitura e câmara de vereadores.

O presidente da URBS, Ogeny Pedro Maia Neto lamentou a possibilidade de greve em um momento em que há um diálogo aberto entre o município e os sindicatos.

Na Câmara Municipal, o projeto está na Comissão de Constituição e Justiça e aguarda a designação do relator. Nesta fase serão definidas as demais comissões temáticas em que o projeto deverá ser analisado até que seja realizada a votação em plenário.

Repórter Vanessa Fernandes