Foto: Paraná Portal / PRF

A Justiça do Paraná acatou denúncia contra o motorista e um representante da empresa responsável pelo caminhão-tanque que tombou na BR-277 em julho de 2016 deixando seis mortos na região de Morretes.

Os dois foram denunciados pelos crimes de homicídio e lesão corporal, ambos com dolo eventual, segundo a promotora responsável Dalva Medeiros.

A denúncia diz respeito à morte de seis vítimas, lesões corporais graves provocadas contra outras três, além de dezenas de outras pessoas que se lesionaram com menos gravidade.

A promotora destacou que o Ministério Público entendeu que houve dolo porque tanto o motorista quanto o representante da empresa tinham conhecimento da situação do caminhão. À época da tragédia, o caminhoneiro disse à polícia que sabia dos problemas nos freios e que informou o seu superior sobre a situação. Mesmo assim a decisão foi por seguir viagem.

A falha alegada no sistema de frenagem foi confirmada em laudo feito pela Polícia Científica. As análises demonstraram ainda que o veículo trafegava com o dobro da velocidade permitida para o trecho de Serra.

A denúncia foi apresentada no começo deste mês pela promotoria de Justiça de Morretes e, de acordo com a promotora Dalva Medeiros, já foi acatada pela Justiça.

Além dessa denúncia, outra foi apresentada no ano passado por crime ambiental. Na ocasião foram denunciados a empresa, o motorista e o chefe imediato dele pelo derramamento de 44 mil litros de etanol, produzindo danos à área de preservação permanente às margens da rodovia, com contaminação do solo e da água.

Repórter Cristina Seciuk

Deixe uma mensagem