Foto: MP-PR

O Ministério Público Estadual (MP-PR) pediu a condenação de Marcos Carmo Rocha, pai do menino que teve o braço amputado após ser atacado por um tigre em Cascavel, no oeste do Paraná. O MP-PR alega que houve crime de lesão corporal gravíssima. Se condenado ele pode pegar de dois a oito anos de prisão.

O acidente aconteceu em julho de 2014, quando Vrajamany Fernandes Rocha, então com 11 anos, passeava com o pai no zoológico municipal da cidade.

Imagens feitas por outros visitantes mostram o garoto desconsiderando as placas de alerta, pulando a grade de proteção e se aproximando dos animais. Primeiro ele oferece ossos de frango para um leão. Depois provoca o tigre, corre em frente à jaula e toca no animal, que na sequência o ataca.

O braço foi puxado para a jaula e os ferimentos foram tão graves que o menino teve o membro amputado.

A promotora Andrea Simone Frias, responsável pelo caso, explica que “o entendimento do Ministério Público é que, analisando os fatos, aquela criança ficou muito tempo em perigo, o que descaracteriza um eventual crime culposo. Se fosse uma lesão corporal culposa – sem intenção – o pai do menino teria o direito ao perdão judicial. Mas, saiu do crime culposo e entendeu-se doloso”. Agora segue o prazo para a defesa do pai do menino apresentar as alegações. Em seguida, o juiz decide se ele é culpado ou não.

Repórter Lucian Pichetti