Foto: Tabata Viapiana
Foto: Tabata Viapiana

A operação Lava Jato completa três anos nesta sexta-feira. Os crimes já denunciados na primeira instância envolvem o pagamento de propina de cerca de R$ 6,4 bilhões, mas a Polícia Federal calcula que o prejuízo à Petrobras pode chegar a R$ 42 bilhões. Já foram oferecidas na primeira instância 58 denúncias contra 260 pessoas (sem repetição de nome), sendo que em 26 já houve sentença.

Ao todo, são 130 condenações contra 89 pessoas, com penas superiores a 1362 anos de prisão. A Lava Jato teve 38 etapas, com 746 buscas, 202 conduções coercitivas, 91 prisões preventivas, 101 temporárias e seis em flagrante. O bloqueio de bens dos réus já soma R$ 3,2 bilhões. A força-tarefa do Ministério Público Federal no Paraná também pede o ressarcimento aos cofres públicos de R$ 38,1 bilhões, incluindo multas às empresas investigadas.

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato no MPF, procurador Deltan Dallagnol, falou sobre as conquistas da operação para além dos números.

No âmbito da Lava Jato também foram firmados 155 acordos de colaboração premiada com pessoas físicas, 10 acordos de leniência com pessoas jurídicas e um Termo de Ajustamento de Conduta. O ressarcimento aos cofres públicos através das colaborações passa de R$ 10 bilhões. O valor representa multas aplicadas às pessoas físicas e jurídicas, além da renúncia de valores no Brasil e no exterior.

Nas palavras de Deltan Dallagnol, a Lava Jato precisa ir até o fim, até esgotar todas as possibilidades de investigação. Cabe à sociedade, segundo ele, garantir apoio para o prosseguimento da operação.

O avanço das investigações provoca reações na classe política, que discute medidas como anistia ao caixa 2. O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima disse que a sociedade precisa estar atenta a retaliações no Congresso, que podem acabar com a Lava Jato.

Até o momento, segundo a Secretaria de Cooperação Internacional do MPF, foram realizados 183 pedidos de cooperação internacional na Lava Jato com 42 países. A ferramenta tem sido fundamental para que MPF identifique contas no exterior que foram utilizadas por muitos dos envolvidos no esquema de desvios da Petrobras. Já foram repatriados no exterior mais de R$ 700 milhões.

 

Repórter Tabata Viapiana

Deixe uma mensagem