estrada-do-colono
Foto: ICMBio
Terrazza Panorâmico

O Ministério Público Federal (MPF) reiterou nesta quinta-feira (12), posicionamento contrário à reabertura da Estrada do Colono, na região sudoeste do Paraná. O MPF ainda reforça que o argumento de que a estrada seria para atender à demanda turística na região, não se sustenta.

A entidade sustenta que a reabertura da Estrada do Colono provocaria uma mudança radical numa área que é matriz de repovoamento de outras zonas. O contrário do que ocorre na turística BR-469, localizada no interior do Parque Nacional do Iguaçu.

A diferença, segundo explica o MPF, é que essa BR está num Ambiente de Uso Intensivo, que abriga área de lazer e visitação. E, portanto, admite a presença de estrada para permitir que os visitantes possam apreciar a beleza das Cataratas do Iguaçu e do seu entorno.

Já a Estrada do Colono “visa a simples travessia do parque, em um trecho contínuo de floresta”. Além disso, todo o entorno da hoje desaparecida Estrada do Colono “está caracterizado como Zona Intangível”. Ou seja, se a estrada estiver em operação, imporá “uma modificação radical do solo do entorno ao longo de todo o seu perímetro”.

O MP esclarece ainda o que é considerado zona intangível, que “é a área da unidade em que a integridade do ambiente deve permanecer intocável. Não se tolera quaisquer intervenções humanas, porque (essa área) atua como matriz de repovoamento de outras zonas”.

Debate

Na Assembleia Legislativa do Paraná, está em tramitação um projeto de lei pela reabertura da estrada. Uma frente parlamentar foi criada, e já foram realizadas duas audiências públicas na região para discussão. O assunto também será discutido pelo Congresso Nacional em proposta semelhante que lá tramita.

Na proposta do Congresso, a justificativa é a de restaurar as relações socioeconômicas e turísticas nas regiões Oeste e Sudoeste do Paraná. Deputados estaduais favoráveis a reabertura, justificam a matéria de duas formas. A primeira,pela diminuição do percurso entre os municípios de Serranópolis do Iguaçu e Capanema. A segunda é a de que com a reabertura, o turismo seria fomentado.

Fechada em 1986, a Estrada do Colono, é um trecho de 17,5km da PR-495 que corta o Parque Nacional do Iguaçu, na região de fronteira entre Brasil e Argentina.

Repórter Vanessa Fernandes