Foto: MP-PR

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou, nesta sexta-feira (13), 14 pessoas no âmbito da Operação Riquixá por organização criminosa, fraude a licitação e falsidade ideológica envolvendo consórcios do transporte público de Curitiba.

Deflagrada em junho de 2016, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria), a Operação Riquixá investiga uma organização criminosa que fraudava licitações de transporte coletivo em várias regiões do país.

Segundo o Ministério Público do Paraná, a maior parte dos denunciados é ligada a um grupo empresarial que se dividiu para ocupar majoritariamente os três consórcios que disputaram  a Concorrência Pública em Curitiba. Os réus, por meio de um escritório de advocacia, utilizavam os conhecimentos técnicos para direcionar as licitações para qualquer empresa previamente escolhida por agentes públicos responsáveis pela concessão do serviço.

A prefeitura de Curitiba informou que a atual gestão não participou da licitação do transporte e os dirigentes da época não ocupam mais cargos. Além disso, a Urbanização de Curitiba não foi notificada.

Já o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) informou que seu corpo jurídico vai aguardar o recebimento da denúncia para se posicionar.

Repórter Francielly Azevedo

Deixe seu comentário