Foto: divukgação.

O mundo lamenta uma série de mortes no Everest. Desde janeiro, onze pessoas perderam a vida na montanha mais alta do mundo 8.848 metros. O alpinista Valdemar Niclevicz, que atingiu o topo do Everest, em 1995, foi entrevistado pela CBN Curitiba nesta terça-feira (28). Este paranaense de Foz do Iguaçu atribuiu as recentes tragédias à agências que levam ao local turistas despreparados para a aventura.

Valdemar Niclevicz afirmou que a China é mais rigorosa do que o Nepal. A montanha tem entrada pelos dois países.

Valdemar, 53 anos, organiza grupos de interessados em escalar o Everest, de onde retornou há três semanas..

(Ayrton Baptista Junior)