Foto: AENPR

A live no Facebook de Valdir Rossoni já é tradição aos domingos. Ontem (3), porém, ele deixou de exaltar as obras e projetos do governo, para prestar esclarecimentos sobre sua citação na delação premiada do dono da Construtora Valor, Eduardo Lopes de Souza.

De acordo com o delator, ele repassou a Rossoni cerca de R$ 460 mil por contratos que a construtora fechou para executar obras em Bituruna, no interior do Paraná. O secretário-chefe da Casa Civil é natural do município, onde inclusive foi prefeito. Rossoni disse que a cidade tinha duas escolas, uma com 60 anos – que nunca tinha passado por reforma – e outra era tão pequena que as crianças estudavam no barracão de uma igreja. Ele afirmou que pediu o recurso para as obras ao governador Beto Richa e que elas foram concluídas, diferente das obras citadas na Quadro Negro.

A delação de Eduardo Lopes de Souza foi firmada com o Ministério Público Federal (MPF) e ainda não foi homologada pelo STF. Rossoni criticou a divulgação pela imprensa do conteúdo da delação.

Rossoni defendeu também o governador Beto Richa, acusado pelo delator de ter recebido dinheiro da fraude nas escolas e utilizado na campanha de reeleição ao governo em 2014.

Rossoni afirma que corrupto, é o delator e que a delação foi inventada pelo empreiteiro durante o período que ele passou na cadeia.

O empreiteiro Eduardo Lopes de Souza é réu na Operação Quadro Negro, que apurou desvios de recursos na construção de escolas públicas. Ele ficou preso por um ano e meio em função da operação. As investigações apontam desvios que podem chegar a R$ 20 milhões em fraudes de licitações das obras.

Repórter Lucian Pichetti

Deixe seu comentário