Foto: Colaboração

Com duas vitórias sobre o Toledo, por 1 a 0 no tempo normal e por 6 a 5 nas cobranças de pênaltis, o Athletico conquistou neste domingo (21), na Arena da Baixada, o bicampeonato paranaense. Nas penalidades, o lance decisivo foi uma defesa do goleiro Léo, que segurou o chute de Adriano, lateral-esquerdo da equipe do interior.

Durante os 90 minutos, o jogo teve uma enorme pressão do time da capital, que perdeu a primeira partida desta decisão, por 1 a 0, em Toledo. Depois do gol marcado pelo volante Matheus Rossetto, de falta, aos oito minutos do primeiro tempo, cabeceios do meia Marquinho e do zagueiro Lucas Halter pararam na trave e o goleiro André Luiz evitou gols dos atacantes Bergson e Gabriel Poveda.

Pelo segundo estadual seguido, o Athletico descartou a escalação dos principais jogadores, poupando-os para competições nacionais e internacionais. Até o técnico desta equipe de aspirantes foi reserva: em 2018, Tiago Nunes, que hoje comanda a equipe de cima; em 2019, Rafael Guanaes.

A vitória deste domingo foi a terceira consecutiva do Athletico nos pênaltis, sempre na Arena da Baixada. Em dezembro, veio desta forma o título da Copa Sul-Americana, contra o Junior de Barranquilla, da Colômbia. No último dia 10, o derrotado foi o Coritiba na decisão da Taça Dirceu Krüger, o segundo turno do Campeonato Paranaense.