Foto: Divulgação/SESP
Terrazza Panorâmico

No primeiro semestre de 2019, 9.242 celulares foram furtados e 6.781 foram roubados no Paraná, segundo dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública. Os números representam redução no comparativo com o primeiro semestre do ano passado, quando foram registrados 9.983 furtos e 8.087 roubos dos aparelhos.

Um dos locais mais visados para esse tipo de crime é dentro do transporte coletivo, principalmente em horários de pico, quando os ônibus acabam ficando com lotação máxima de passageiros.

O porta-voz da Polícia Militar, tenente-coronel Waldick Alan de Almeida Garrett, orienta que é preciso tomar algumas precauções, principalmente em locais de grande aglomeração de pessoas.

A Polícia Civil do Paraná alerta que alguns criminosos podem utilizar informações pessoais do dono do celular para inúmeros outros ilícitos, entre eles o roubo de dados bancários e extorsões mediante pedido de recompensa pelos dados obtidos na invasão dos aparelhos. Por isso, é importante o proprietário do celular ter alguns cuidados com o aparelho quanto à segurança de suas informações.

A orientação é que cidadão não deve reagir em caso de abordagem de um criminoso, preservando a vida em primeiro lugar.

Depois do ocorrido, deve ser feita a queixa junto à Polícia Militar, pelo número 190 e o registro de um boletim de ocorrência, medida essencial para o trabalho de mapeamento feito pela Polícia. Na parte técnica do celular também é preciso tomar alguns cuidados, para proteger dados e senhas pessoais.

Outras dicas para proteção dos dados do celular são: fazer o backup das informações, manter uma senha de bloqueio para uso do celular, utilizar wifi somente em locais de confiança e usar apenas celulares originais.

Tão importante quanto registrar o furto ou roubo é fazer o bloqueio do celular informando o número do IMEI junto à operadora, fazendo com que o aparelho fique sem funcionamento. O número geralmente consta na nota fiscal ou na caixa do aparelho.

Repórter William Bittar