Foto: Divulgação PRF
Terrazza Panorâmico

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), 228 pessoas morreram em acidentes de trânsito nas rodovias federais paranaenses durante o primeiro semestre deste ano. O número é 32% menor que o registrado em 2017, quando ocorreram 335 mortes.

O índice de feridos também apresentou queda de quase 16%, baixando de 4.767 para 4.037. O registro de acidentes atendidos pela PRF também caiu 24,4%, totalizando 4.092 ocorrências.

De acordo com o balanço, apresentado na manhã desta terça-feira (10), as cinco principais causas presumíveis dos acidentes que resultaram em mortes foram: falta de atenção do condutor (25% das mortes); falta de atenção do pedestre (20,2%); velocidade incompatível (16,7%); desobediência às normas de trânsito (14%); e ingestão de bebidas alcoólicas (4,8%).

Conforme o chefe de comunicação da PRF no Paraná, Fernando Oliveira, os dados apontam que pedestres, motociclistas e ciclistas correspondem a quase 50% dos mortos. Além disso, mais de 82% das vítimas que perderam as vidas eram homens.

A maioria das pessoas morreu em ocorrências registradas pela PRF com pista seca e em trechos de reta. Oliveira destaca que apesar da desatenção do pedestre, motoristas também abusam da velocidade ao volante.

Mais da metade das mortes ocorreu em colisões frontais (26,8%) ou em atropelamentos (25,4%). Quase 55% dos óbitos aconteceram em trechos de pista simples.

Entre janeiro e junho deste ano, as equipes da PRF flagraram 1.820 motoristas dirigindo sob efeito de bebidas alcoólicas; 11.211 manobras irregulares de ultrapassagem; e mais de 115 mil (115.648) veículos acima da velocidade máxima permitida. O policial rodoviário federal avalia que muitos acidentes poderiam ter sido evitados.

Cerca de 42% das vítimas que morreram nas rodovias tinham entre 21 e 40 anos de idade. Crianças menores de 11 anos representaram quase 2% dos mortos.

Repórter Francielly Azevedo

Deixe uma mensagem