Foto: Reprodução

A Ordem dos Advogados do Brasil recomendou, através de uma nota, o afastamento de cargos públicos do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e do procurador da República Deltan Dellagnol, depois que o site The Intercept divulgou uma troca de conversas entre os dois integrantes da Força Tarefa da Lava Jato e que culminou na prisão do ex-presidente Lula.

A recomendação, por unanimidade, foi tomada nesta segunda-feira, numa reunião do Conselho Federal e do Colégio de Presidentes Seccionais da OAB.

A nota não cita o nome do ministro, nem o do procurador, mas deixa claro que a entidade nacional dos advogados ficou preocupada e perplexa com o conteúdo dos diálogos e com a possibilidade dos integrantes da Lava Jato terem sido hackeados.

A nota da OAB alerta que a divulgação dos fatos ameaça os caros alicerces do Estado Democrático de Direito.

E mais: “Não se pode desconsiderar, contudo, a gravidade dos fatos, o que demanda investigação plena, imparcial e isenta, na medida em que estes envolvem membros do Ministério Público Federal, ex-membro do Poder Judiciário e a possível relação de promiscuidade na condução de ações penais no âmbito da Operação Lava-Jato. Este quadro recomenda que os envolvidos peçam afastamento dos cargos públicos que ocupam, especialmente para que as investigações corram sem qualquer suspeita”.

Repórter Marcelo Ricetti