Obras da Barragem do Miringuava estão com 20% de atraso, segundo TCE-PR

Obras da Barragem do Miringuava estão com 20% de atraso, segundo TCE-PR
Foto: Wagner Araújo/TCE-PR

Segundo análise feita na última quinta-feira (7) pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), a Sanepar já havia adiado a conclusão da primeira fase para dezembro de 2020 e depois para março de 2021, mas esse prazo também não deve ser cumprido.

Conforme a Segunda Inspetoria de Controle Externo do TCE-PR, o cronograma da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) previa que mais de 60% dos trabalhos estivessem concluídos no final de dezembro, mas segundo a inspeção, até o final do mês passado cerca de 40% da obra estava finalizada.

De acordo com a Sanepar, os motivos para a demora foram o registro de um surto de Covid-19 entre os operários que trabalham na construção e a grande ocorrência de chuvas no local ao longo do último bimestre de 2020, as quais superaram a média histórica regional.

Conforme a companhia, apenas 24 dos 61 dias do período foram secos o suficiente para a realização de serviços de terraplanagem, em especial dos aterros compactados que exigem baixo teor de umidade do solo.

Quando for concluída, a represa deverá aumentar o volume de água disponível para abastecer a população da Região Metropolitana de Curitiba, cujos municípios estão em regime de rodízio no fornecimento de água desde o ano passado, em função do grave período de estiagem no estado.

O Rio Miringuava abastece a região da capital paranaense com uma vazão média de 800 litros por segundo. Com a entrega da barragem pela Sanepar, a capacidade de abastecimento será ampliada para 2 mil litros por segundo, o que equivale a 12% do total que é fornecido pelo sistema.

Atualmente, quatro barragens abastecem Curitiba e Região Metropolitana, são elas: Barragem do Iraí, Barragem Passaúna e as barragens Piraquara I e Piraquara II.

Nesta quarta-feira (13), o nível dos reservatórios que integram o Sistema de Abastecimento de Água Integrado de Curitiba (SAIC) está em 40,66%.

Repórter William Bittar