Foto: DER/PR

A ponte de Guaratuba, no litoral do Paraná, deve, enfim, sair do papel. O processo começou nesta segunda-feira (12), com a abertura dos envelopes com as propostas de preços para elaboração do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) da construção.

De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), o teto para a execução dos serviços era de R$ 919,9 mil e o maior desconto foi de 25%.

Duas empresas participam do processo: a ECR, de São Paulo, que propôs R$ 689,8 mil, e a Engemin, de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, que apresentou o valor de R$ 832,8 mil.

O secretário de infraestrutura e logística do Paraná, José Richa Filho, explica a finalidade do estudo.

O secretário garantiu que a escolha das empresas não vai levar em consideração o menor preço.

Segundo Richa Filho, o estudo deve levar nove meses para ser concluído.

O secretário acredita que os trabalhos comecem no ano que vem.

Hoje o tráfego de caminhões pesados pelo ferry boat é proibido. Com a construção de uma ponte, o fluxo destes veículos poderia causar impacto no trânsito da cidade. Para contornar o problema o secretário prevê duas soluções.

A ponte deve custar entre 120 e 140 milhões de reais e vai ter cerca de 800 metros de extensão. Com os acessos a obra deve chegar a dois mil metros.

Repórter Lucian Pichetti

Deixe seu comentário