Foto: Reprodução/SMCS

As obras em cinco quadras da Avenida Getúlio Vargas, no bairro Rebouças, começaram nesta quarta-feira (13). Este trecho da via vai ser todo restaurado com asfalto, iluminação e calçadas novos. De acordo com o engenheiro responsável, Marcos Kokot, o canteiro central vai ser retirado.

Os seja, os carros vão ganhar mais uma faixa na via. Mas não são só os motoristas os beneficiados com a restauração.

Os trabalhos ocorrem durante o dia e, eventualmente, podem continuar no período da noite.

Ao longo dos 12 meses de obras, o tráfego no trecho da Getúlio Vargas vai ter restrições para carros, ônibus e pedestres. Conforme a prefeitura, o primeiro bloqueio vai ser parcial e ocorre entre a Avenida Marechal Floriano e a Rua Rockefeller, na faixa que passa ao lado do quartel da Polícia Militar (PM).

A orientação da Superintendência de Trânsito (Setran) é para que os motoristas optem pelas vias paralelas – Avenida Silva Jardim e Rua Brasílio Itiberê.

O bloqueio de todas as pistas à esquerda do canteiro central no trecho previsto começa na sexta-feira (15). A interdição desse lado da avenida, segundo a prefeitura, deve durar seis meses e afetar trajetos das linhas de ônibus que passam pelo local, que são: Santa Cândida-Pinheirinho; Sítio Cercado; Fazendinha-Guadalupe; Uberaba e Canal Belém, além da Linha Turismo, que cruza a Getúlio Vargas.

De acordo com a prefeitura, assim que as obras forem concluídas, essas pistas serão abertas ao tráfego. Será a vez, então, de interditar o lado direito do canteiro para os outros seis meses de obras.

Até junho do ano que vem, a circulação de veículos sofre bloqueios até a Rua Conselheiro Laurindo, numa extensão de 660 metros, em diferentes momentos.

As melhorias na Getúlio Vargas são contrapartida da Igreja Universal do Reino de Deus, para compensar a cidade pelo aumento do tráfego de veículos e pedestres gerado pela construção da nova sede, perto da Rodoviária. A obras vão custar R$ 10 milhões.

Repórter Lucian Pichetti