OURO
Terrazza Panorâmico

O primeiro interesse econômico pelo Paraná surgiu no chamado Ciclo do Ouro no fim do século XVII.

De acordo com o historiador Renê Wagner Ramos, coordenador do Sistema Estadual de Museus, os primeiros registros de ouro em território brasileiro foram observados no litoral do Paraná.

No mesmo Ciclo do Ouro, nasceram Paranaguá, Morretes, Antonina e o Primeiro Planalto, primeiramente conhecido como Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, que veio a se chamar Curitiba. 

Conforme o historiador, esse século ficou caracterizado como um ciclo de prosperidade. Foi graças a busca incessante pelo ouro que o Paraná foi fundado.

Hoje, a única mineradora de ouro do Estado fica em Campo Largo e extrai o metal das minas subterrâneas da região metropolitana da capital.

É a mineradora Tabiporã, que forneceu o ouro usado nas medalhas da Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016.

O Ciclo do Ouro marcou o início da produção econômica paranaense.

A atividade é fiscalizada pelo departamento de geologia do Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Estado.

Segundo o geólogo Marcos Dias do I.T.C.G, esse minério, além de servir para a confecção de barras de ouro, como reserva financeira, também tem outros usos na indústria.