Foto: Pixabay

Faltam 40 dias para a Páscoa e nós já entramos na Quaresma, tempo em que os católicos e algumas outras comunidades cristãs se dedicam à penitência em preparação para esse período que representa a ressurreição de Cristo.

Nesse período, a Associação Paranaense de Supermercados (APRAS) espera um aumento nas vendas em 10%, em relação ao mesmo período do ano passado, considerando a venda de peixes, vinhos e dos tradicionais ovos de Páscoa.

O superintendente da Apras, Valmor Rovaris, garante que o aumento se deve muito ao momento econômico atual.

O empresário Rafael Laufer, que atua no ramo de vendas de chocolates e embalagens, na Avenida Sete de Setembro, em Curitiba, comemora esse momento, que para ele, chega a ser melhor do que o Natal, justamente pelo ramo de atuação.

Ele afirma que nos últimos anos, as pessoas têm preferido personalizar os presentes de Páscoa, com produtos selecionados e até mais baratos.

Laufer também lembra o produto mais procurado nessa época do ano para quem quer personalizar o Ovo de Páscoa.

A dona de casa, Rosangela Hilgenberg, já comprou as embalagens e o chocolate. Os netos vão ganhar ovos personalizados e ela garante a economia.

Para quem vai comprar os ovos prontos, aqueles tradicionais, o superintendente da Apras ressalta que é preciso aproveitar as promoções, pois, aquele período com descontos maiores após a Páscoa, não deve acontecer.

O que também aumenta nesta época do ano, são as vagas temporárias de emprego. No Paraná, entre produção e vendas são criadas quase 20 mil vagas de emprego no período da Páscoa, segundo o Sincabima (Sindicato das indústrias de cacau e balas, Massas Alimentícias e Biscoitos de Doces e Conservas Alimentícias do Paraná).

Repórter William Bittar