Foto: Divulgação

O cantor Ozzy Osbourne chega a Curitiba para o show da turnê No More Tours II. Como diz o próprio nome da turnê, é a despedida definitiva dele dos palcos. Ozzy completa 70 anos em dezembro e já disse que está cansado das exaustivas turnês mundiais.

O show desta quarta-feira ocorre nas Pereira Paulo Leminski. Ozzy Osbourne surgiu para o mundo como vocalista do Black Sabbath, considerada a pioneira do Heavy Metal.

Depois seguiu em uma consagrada carreira solo, inclusive participando de uma turnê de despedida com o próprio Black Sabbath, que passou pelo Brasil em 2016 com um show na Pedreira.

No repertório do show que ocorreu em São Paulo no último domingo, sucessos da antiga banda como War Pigs.

E Paranoid.

A vida de Ozzy é um conto de fadas às avessas. Em 1981, durante um show em Cardiff, capital do País de Gales, aconteceu um dos fatos que mais marcaram a carreira do artista.

Tudo aconteceu quando um fã, durante o show, atirou um morcego no palco. Ozzy, acreditando se tratar de um artefato de plástico, mordeu a cabeça do animal e acabou tendo que tomar várias injeções anti-rábicas.

O medicamento causou-lhe choques anafiláticos, entre outros problemas de saúde. Chegou até a ser divulgada a sua morte, que foi desmentida.

Ozzy participou da primeira edição do Rock In Rio em 1985, e ficou a expectativa se ele iria repetir o feito, mas ele não comeu morcegos nas diversas vezes em que esteve no país ao longo das últimas décadas.

Uma das atrações no show de hoje à noite é o guitarrista Zakk Wylde, que volta a tocar na banda de Ozzy Osbourne depois de alguns anos em carreira solo.

Ozzy Osbourne ainda fará dois shows no Brasil, um em Belo Horizonte no sábado, e o outro no Rio de Janeiro na segunda-feira. A turnê No More Tours II deve ser encerrada em 2020

O show em Curitiba deve começar por volta das 20:00. A abertura dos portões na Pedreira está prevista para às 16:00.

A região no entorno da Pedreira sofrerá alguns bloqueios de trânsito a partir das 13h. Agentes da Superintendência de Trânsito (Setran) estarão no local para prestar apoio ao evento, que deverá reunir 15 mil pessoas.

Os bloqueios serão nas ruas Eugênio Flor (entre a Nilo Peçanha e a Martin Kaiser), João Enéas de Sá (entre a Nilo Peçanha e a João Gava), Antônio Krainski (entre a Nilo Peçanha e Benedito Correia de Freitas) e João Gava (entre a João Enéas de Sá e a Nilo Peçanha).

Repórter Fabio Buchmann