O juiz Sérgio Moro acolheu um pedido da defesa de Palocci e cancelou os depoimentos de seis colaboradores da Odebrecht, que seriam realizados na próxima sexta-feira. Os delatores, assim como Palocci, são réus da 35ª fase da Lava Jato. Todos já tinham sido ouvidos em abril, mas a defesa do ex-ministro pediu novos interrogatórios depois que as delações premiadas se tornaram públicas.

Apesar disso, logo depois que a audiência foi marcada, a defesa de Palocci abriu mão de ouvir seis executivos, incluindo o ex-presidente da construtora, Marcelo Odebrecht. A defesa disse que só vai explicar o motivo da desistência nas alegações finais. Foi mantido apenas um depoimento, o de Fernando Migliaccio, apontado como responsável pelas contas da Odebrecht no exterior.

Ainda na audiência de sexta-feira, o juiz Sérgio Moro vai interrogar outro réu do processo, o ex-diretor de serviços da Petrobras, Renato Duque. O novo depoimento foi um pedido do próprio Duque. No primeiro interrogatório, no início de abril, ele ficou em silêncio por orientação da defesa. Mas, agora, Duque disse que quer colaborar com a Justiça no esclarecimento dos fatos investigados. Há mais de um ano, ele tenta firmar um acordo de delação premiada com MPF.

Depois dos novos interrogatórios dos réus, o juiz Sérgio Moro deve abrir um prazo para alegações finais do MPF e das defesas para, em seguida, proferir a sentença. O processo apura pagamentos de propina de pelo menos R$ 128 milhões feitos pela Odebrecht ao PT por intermédio de Palocci.

Repórter Tabata Viapiana

Deixe uma mensagem