Foto: Divulgação AEN
Terrazza Panorâmico

Em visita a Curitiba, nesta segunda-feira (23), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a falar sobre o pacote anticrime proposto pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Para Maia, Moro mudou de posição ao defender pauta de Bolsonaro com excludente de ilicitude.

O democrata reforçou que é necessária cautela para analisar o item que prevê a isenção de policiais acusados de agredir ou até mesmo matar em alguns casos.

O tema veio à tona, após a morte da menina Agatha Félix, de 8 anos, assassinada com um tiro nas costas, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O disparo teria sido efetuado por policiais.

Maia também comentou a publicação feita por Sérgio Moro nas redes sociais. O ministro afirmou que a morte de Agatha não tem qualquer relação com a proposta que tramita no Congresso.

O presidente da Câmara destacou que é necessário fazer um outro debate sobre prevenção dos crimes e não apenas o combate.

Rodrigo Maia afirmou que o Grupo de Trabalho deve concluir as análises do pacote anticrime em mais duas ou três semanas e só então ir à voto.

Repórter Francielly Azevedo