Foto: Lucian Pichetti

Mais uma equipe de bombeiros paranaenses se deslocou à Brumadinho, em Minas Gerais. A tripulação é formada pelo comandante da aeronave, dois bombeiros, um mecânico e um cinegrafista. A missão: ajudar no resgate as vítimas da tragédia.

O helicóptero do Batalhão de Operações Aéreas da Polícia Militar partiu do Aeroporto do Bacacheri, em Curitiba, às 9h30 da manhã deste domingo (3). Em 4h30, após duas paradas para abastecer, pousou na cidade mineira que ganhou os holofotes do mundo.

Segundo o capitão Marcio Valim de Souza, comandante da aeronave, ela é autossuficiente.

A aeronave, que tem autonomia para mais de 100 horas de voo, carrega uma rede de carga externa com capacidade para 750 kg, fundamental para o resgate de corpos.

Esta foi a segunda equipe de bombeiros paranaense deslocada à Minas. Desde o início da semana passada, três bombeiros do Grupo de Operações de Socorro Tático (GOST) resgataram 10 mortos da lama.

Agora, o trabalho será intensificado com apoio da aeronave.

Além do helicóptero paranaense, há outros 14 sobrevoando a área, de diversos Estados. O comando da operação é dos bombeiros mineiros.

O governo do Paraná foi o primeiro a oferecer apoio à Minas Gerais. Nesta semana a equipe do GOST que atua em Brumadinho retorna ao Paraná e outras duas, formadas por seis bombeiros, se deslocam a cidade mineira. Quem explica é o comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Samuel Prestes.

A troca das equipes é necessária devido ao desgaste físico e emocional dos bombeiros.

Não há uma previsão de quanto tempo a missão vai durar. Para não desfalcar a segurança pública do Paraná, o governador Ratinho Júnior cedeu o helicóptero de uso pessoal para o Batalhão de Operações Aéreas da Polícia Militar.

A barragem de minério da Vale rompeu no dia 25 de janeiro. Neste domingo subiu para 114 o número de mortos identificados. Ao todo são 121 vítimas fatais. Há ainda 205 pessoas desaparecidas.

Repórter Lucian Pichetti