Foto: Reprodução/EBC

Os casos foram registrados em Ibiporã, Londrina e Foz do Iguaçu. Dois homens, de 55 e 85 anos, e uma mulher, de 59 anos, morreram em decorrência de complicações da dengue desde a última semana, segundo o boletim epidemiológico semanal divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde.

Com isso, chega a 20 o número de óbitos em decorrência da doença, desde agosto de 2018 até agora.

Londrina registra o maior número de mortes, com sete, seguida de Cascavel e Loanda, com três, Foz do Iguaçu, Maringá e Ibiporã, com dois óbitos e Cafelândia com um.

As faixas etárias predominantes ficam entre 50 e 59 anos e 80 e 89 anos.

Além disso, já são 16.402 casos confirmados de dengue no Paraná, 1.006 a mais do que na semana anterior. Também foram 77.365 notificações em todo o estado.

O boletim mostra 72 municípios em epidemia, ou seja, apresentam incidência proporcional de 300 casos por 100 mil habitantes.

Outros 63 municípios seguem em alerta de epidemia, o que ocorre quando a taxa de incidência é igual ou superior a 100 casos por 100 mil habitantes.

Raul Junior Bely, da Gestão de Informação da Secretaria da Saúde, lembra que a chegada do frio não deve ser motivo para que a população deixe de fiscalizar as casas e quintais. O monitoramento da dengue aponta que mais de 60% dos criadouros do Aedes aegypti estão nas residências.

O Aedes aegypti também é responsável pela transmissão do Zika Vírus e Chikungunya. Desde agosto do ano passado, foram 20 casos confirmados de Chikungunya e 5 do Zika vírus. Com relação a essas doenças, nenhuma morte foi registrada até o momento no Paraná.

Repórter William Bittar