Paraná registra a primeira morte por dengue e mais um caso de chikungunya neste semestre

Paraná registra a primeira morte por dengue e mais um caso de chikungunya neste semestre
Foto: Pedro Ribas / AEN

O Paraná tem a primeira morte por dengue, no segundo semestre de 2019. O boletim epidemiológico da doença, divulgado na terça-feira (26), registra o óbito de uma mulher de 31 anos, acontecido no dia 17 deste mês, no município de Nova Cantu, no Centro-Oeste do Estado.

A vítima fatal da doença tinha anemia crônica, um fator de risco para contrair a dengue. São 330 novos casos registrados, somando mais de 1.500 casos confirmados desde o final de julho, quando começou o novo período epidemiológico, neste semestre.

Sete municípios estão com epidemia da doença: Nova Cantu, Quinta do Sol, Inajá, Santa Isabel do Ivaí, Ângulo, Floraí e Uniflor. Outros dez estão em situação de alerta: Lindoeste, Juranda, Douradina, Indianópolis, São Carlos do Ivaí, Flórida, Munhoz de Mello, Florestópolis, Leópolis e Uraí. Estes municípios representam todas as 22 regionais de Saúde do Estado.

O boletim também mostra mais um caso de chikungunya. São cinco registros no Paraná: em Curitiba, Araucária, Foz do Iguaçu, Maringá e, agora, em Toledo. A doença não foi contraída na cidade de residência dos infectados.

Para combater os criadouros do mosquito Aedes Aegypti, transmissor das duas doenças, é necessário observar vasos de plantas, pneus, garrafas, calhas e outros objetos que permitam o acúmulo de água parada.

Repórter Marcelo Ricetti