Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Terrazza Panorâmico

Sete pessoas morreram por gripe no Paraná nas últimas duas semanas, de acordo com o último boletim da doença, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA), nesta quarta-feira (18). Ao todo, desde janeiro, 111 óbitos foram registrados em decorrência da Influenza.

As novas mortes aconteceram nos municípios de Castro, Guarapuava, Cianorte, São José dos Pinhais e três em Curitiba. Entre as vítimas estavam três crianças, dois idosos e dois adultos.

Nos últimos 15 dias, a Secretaria confirmou 53 novos casos de gripe no estado. No total, já são 580 desde o início do ano. Somente em Curitiba, são 132 casos, dez a mais que no boletim anterior.

Conforme a SESA, o subtipo mais comum é o Influenza A H1N1, responsável por 95 das 111 mortes registradas no Paraná, e 480 dos 580 casos.  

Os fatores de risco da gripe são, além da idade avançada, doenças cardiovasculares, pneumopatias, diabetes, doenças neurológicas, renais, hepáticas e hematológicas, além de obesidade e asma.

Todos os subtipos da gripe são transmitidos pelo contato com gotículas da saliva e secreções respiratórias de pessoas infectadas.

O vírus pode ficar ativo de duas a oito horas em várias superfícies. Por isso, o chefe da Divisão de Doenças Transmissíveis da Secretaria Estadual da Saúde, Renato Lopes, recomenda a higiene frequente das mãos para reduzir as chances de contaminação.

Os sintomas da gripe incluem febre alta acima de 38°, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça e tosse. A Secretaria orienta que quando há suspeita de Influenza, é preciso procurar os serviços de saúde para avaliação médica e início do tratamento com antiviral específico. O medicamento está disponível na rede pública de saúde.

Repórter Francielly Azevedo