Pedágios: Frente Parlamentar quer modelo de menor preço da tarifa

Pedágios: Frente Parlamentar quer modelo de menor preço da tarifa
Divulgação: Ecovia

Os Deputados da Frente Parlamentar estão atentos para os contratos dos pedágios, que vencem no fim de 2021. A expectativa é que o novo modelo de pedágio, que resultaria em tarifas mais caras, seja barrado.

Segundo Luiz Cláudio Romanelli, deputado e primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), falta apenas um ano para o fim deste modelo de contrato , o qual ele considera ”perverso”. O deputado ainda define o modelo como ruim, visto os erros graves e a quantidade de obras não realizadas.

A justificativa de Romanelli é que o Governo Federal tem a intenção de implementar um modelo com a chamada taxa de outorga, o que é equivalente à um imposto novo aos paranaenses. Neste novo contrato, o Paraná teria que pagar uma taxa 20% mais barata que a atual, porém, segundo o deputado, ainda continuaria muito elevado.

Para finalizar, o secretário afirma que a bancada federal do Paraná, composta por 30 deputados, entregou um documento em Brasília afirmando ser contra o pedagiamento com taxa de outorga.

Ouça a entrevista: