Waldemir Barreto/Agência Senado

Um levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisa mostra que 91,7% da população discordam do auxílio moradia pago a deputados e senadores.

A pesquisa realizada nas regiões Norte e Centro Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul do país, trazia a seguinte pergunta: O senhor / senhora concorda ou discorda com o pagamento de auxílio-moradia a Deputados e Senadores?

Além dos 91,7% de entrevistados que discordaram do pagamento, outros 4,4% concordam e 3,9% dos consultados não souberam ou não quiseram opinar.

Para a realização desta pesquisa foram abordadas 2.082 pessoas.

O trabalho de levantamento de dados foi feito através de entrevistas telefônicas com habitantes com 16 anos ou mais, em 26 Estados e Distrito Federal e em 174 municípios brasileiros entre os dias 5 e 9 de agosto 2.019.

Segundo o Instituto o grau de confiança é de 2%, com uma margem de erro que varia entre 3,5% e 5,5%, dependendo da região do país.

Auxílio-Moradia é o reembolso das despesas com estada ou moradia no Distrito Federal. Os Deputados que não ocupam um dos imóveis funcionais da Câmara têm direito a este auxílio e devem comprovar suas despesas por meio de notas fiscais ou recibos.

O limite pago como auxílio-moradia, aos deputados federais conforme definido pelo ato da mesa nº 3, de 2015 é de R$ 4.253,00.

Já o auxílio-moradia para senadores que não ocupam apartamentos funcionais tem o valor mensal de R$ 5,5 mil.

Repórter Vanessa Fernandes