caminhabilidade-inter-2-mulheres-onibus
Foto: Brunno Covello/SMCS
Terrazza Panorâmico

O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) começa nesta terça-feira (29) um trabalho para avaliar os espaços, formas de circulação e identificação de pedestres nas áreas de abrangência da Linha Inter 2. Será realizada uma pesquisa de campo para calcular o Índice de Caminhabilidade sensível ao gênero, considerando a exposição e vulnerabilidade de mulheres a situações de risco em espaços urbanos.

As mulheres representam 59,18% dos usuários do transporte público de Curitiba, de acordo com dados da Pesquisa Origem/Destino elaborada pelo Ippuc. Homens são 40,82% dos passageiros transportados.

O trabalho integra o programa de intervenções do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) como parte Projeto Inter 2 para a modernização da Rede Integrada de Transporte (RIT), que conta com financiamento da instituição. É a primeira etapa de um processo que inclui também uma pesquisa e a elaboração dos chamados “Cadernos de Viagem”, com acompanhamento de diversos grupos nos seus trajetos cotidianos, entre estes pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Edival Vilar de Araújo Junior é arquiteto do setor de projetos do IPPUC e explica que entre os objetivos deste estudo está a interação e integração dos pedestres com o transporte coletivo.

Índice de caminhabilidade

O Índice de Caminhabilidade tem por objetivo a avaliação dos espaços de circulação de pedestres, antes e depois das intervenções do projeto Inter 2, e deve também possibilitar a inclusão de sugestões para melhoria deste e de outros projetos do município.

Edival Vilar de Araújo Junior cita alguns dos aspectos que serão avaliados nesta etapa de estudos.

A Organização da Sociedade Civil (OSC) SampaPé foi contratada pelo BID para capacitar técnicos da Prefeitura à aplicação do índice e para a realização da pesquisa de campo. As atividades devem contar também com a participação de professores e alunos de universidades.

Apesar do assédio recorrente que vem ocorrendo no transporte coletivo da capital  não ser o foco principal desta pesquisa, o arquiteto afirma que o estudo pode servir como subsídio para ações de combate a este tipo de ocorrência.

Farão parte deste trabalho oficinas teóricas e práticas sobre o Índice de Caminhabilidade. A parte prática da pesquisa será realizada em locais de grande circulação de pessoas, no percurso realizado pela Linha do Inter 2, como Terminal Campina do Siqueira, Estação Mercês e Estação Xaxim, na Linha Verde Sul. As atividades  de pesquisa do índice de caminhabilidade encerram na sexta-feira no auditório do Ippuc, com uma oficina de avaliação das atividades.

Repórter Vanessa Fernandes