Foto: Divulgação/Cenacid

O grupo de pesquisadores do Centro de Apoio Científico em Desastres (Cenacid) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) que esteve em Brumadinho/MG para entender todo o processo de rompimento da barragem 1 da Mina do Feijão que deixou centenas de vítimas, apontou 16 recomendações para que os danos da tragédia sejam minimizados.

O primeiro relatório realizado pelos pesquisadores foi concluído nesta semana e, além das recomendações, apresenta a análise da situação na área e impactos.

As recomendações vão desde questões específicas sobre a tragédia até sugestões mais amplas, relacionadas a revisão das normas brasileiras de segurança em barragens, como explica o líder da equipe que esteve na cidade mineira e coordenador do Cenacid, professor Renato Lima.

O pesquisador também falou sobre o acidente. De acordo com o relatório a tragédia foi causada por falha humana já que não foi identificada a ocorrência de fenômenos naturais que pudessem causar a ruptura da barragem.

O grupo do Cenacid esteve em Brumadinho entre os dias 28 e 31 de janeiro.

Renato Lima reafirmou que as ações sugeridas devem ser pensadas para evitar novas tragédias.

Foram recolhidas sete amostras de lama e água em diferentes pontos do local da tragédia. O material é analisado em laboratórios da UFPR.

Nas próximas semanas, os pesquisadores pretendem retornar a Brumadinho para avançar nos estudos do comportamento interno do fluxo de lama e coleta de novas amostras.

Com colaboração de Cristina Seciuk, repórter William Bittar